Netuno

Filho de Saturno e de Réia, irmão de Júpiter e de Plutão, tambem era chamado Poseidon. Foi um daqueles deuses que Réia escondeu de Saturno para não ser devorado pelo pai. Fazendo-o acreditar ter dado à luz a um potro que lhe deu para devorar. Com os irmãos partilhou o Universo, cabendo-lhe o mar, as ilhas e todas as ribeiras.
Na disputa de Júpiter e os titãs, serviu o irmão com fidelidade, encarcerando-os no Inferno, impedindo de tentarem novas empresas.
Governa seu império com calma imperturbável. Habita o fundo do mar, mas sabe tudo quanto se passa na superfície. Quanto os ventos espalham as vagas sobre as praias, produzindo naufrágios, ele aparece e com a sua nobre serenidade faz as águas reentrarem no seu leito, abre canais através dos baixios, levanta com o tridente os navios presos nos rochedos, ou encalhados nos bancos de areia, em uma palavra, restabelece toda a desordem das tempestades.
Casou-se com Anfitrite, filha de Dóris e de Nereu. Ela se recusou inicialmente a desposá-lo, escondendo-se às suas perseguições. O delfim, encarregado dos interesses de Netuno a encontrou ao pé do Monte Atlas, e persuadiu de que devia aceitar o pedido do deus, tendo sido colocado entre os astros como recompensa. Tiveram um filho chamado Tristão, e muitas ninfas marinhas; diz-se também que foi a mãe dos Ciclopes.
Quando se apaixonava por uma divindade ou por uma simples mortal, recorria a varias formas, assim como o mar que tem qualidades próprias como o ruído, profundidade e força, utilizava a metamorfose, mas mantinha àquelas características. Essas metamorfoses são clássicas, como àquela em touro, quando tem amores com a filha de Eolo; sob a forma do Rio Enipeu, para fazer de Ifiomédia, mãe de Ifialto e de Oto; outra em forma de carneiro, para ter Bisáltide; cavalo, para envolver-se com Ceres; como um grande pássaro nos amores com Medusa e um delfim quando se apaixonou por Melanto.
A posse da Ática produziu a famosa discórdia com Minerva. Com Juno, por causa de Micenas e com Sol por causa de Corinto, outras duas grandes desavenças.
Netuno vai alojar Latona, para que esta desse à luz Apolo e Diana na Ilha de Delos, lugar inacessível a Juno, mulher ciumenta de Júpiter.
Dos deuses gregos era um dos mais venerados, inclusive na Itália, possuindo grande número de templos, junto ao mar. Os festejos solenes como o Istmo de Corinto e os do Circo de Roma eram-lhe especialmente consagrados sob o nome de Hípio. Tinha todo o mês de fevereiro consagrado a si, inclusive as Saturnais que eram no mês de Julho. Este deus tinha sob a sua proteção os cavalos e os navegantes. Dentro dos sacrifícios habituais eram lhe oferecido o fel da vítima, porque representava as águas do mar.
Era representado com um tridente na mão esquerda, nu, barbas longas, sentado ou em pé sobre ondas. Em algumas vezes tinha o carro puxados por dois ou quatro cavalos, comuns ou marinhos.