ESCORPIÃO - O quanto se pode IV







Quando a culpa é exagerada, impede que o esforço da mudança ocorra, por exaurimento da energia, por tomar conta do indivíduo e monopolizar a sua atenção. É preciso ser possível lidar com a situação de maneira objetiva, deixando os excessos da exaltação ou da inibição. O exemplo deixado por Perseu coloca adequadamente essa percepção, pois a sua atitude corajosa liberta Pégaso e remove a cabeça da Medusa,






 que usará para vencer os obstáculos. Ao enfrentar a culpa, raiva e o ressentimento em benefício da parceria no relacionamento afetivo, ele superará os aspecto da Mãe Terrível, na forma primitiva do escorpião, da serpente ou peixe destruidor. Enfrentar a natureza instintiva, ou o lado obscuro ira liberta-lo e permitir a integração do núcleo feminino, abrindo o caminho para a comunhão com o todo. Como retornar a um estado de perfeição baseado nas experiências corporais dos sentidos?