LEÃO ao longo da história IV



Da mesma forma, no Extremo Oriente, o leão, animal puramente emblemático, tem profundas afinidades com o dragão, com o qual chega a se identificar. Desempenha um papel de proteção contra as influencias maléficas. Danças do leão (Shishimai) tem lugar no Japão no dia primeiro de janeiro e em certos dias de festa. Desenrolam-se diante dos santuários xintoístas, no meio das ruas e até nas casas particulares. Músicos acompanham os dançarinos . Estes usam máscara em forma de leão. Um homem leva a máscara e dois ou tres outros representam o corpo sob um pano. A cabeça do leão é vermelha. Esse leão tem a reputação de afugentar os demônios e de trazer saúde e prosperidade para as famílias, vilas, comunidades. Assim a visão de pesadelo é exorcizada e a imagem de morte tornando-se penhor de vida. É o que se observa também em outras áreas culturais, onde o leão, devorando periodicamente o touro, exprime há milênios a dualidade antagonista fundamental do dia e da noite, do verão e do inverno. Chegará a simbolizar não apenas o retorno do Sol e o rejuvenescimento das energias cósmicas e biológicas, mas também as próprias ressurreições. Túmulos cristão eram ornados com leões.