A Teimosia como Princípio de Vida - Touro

A alma taurina tem algumas singularidades. Assim como no mito em que Minos(rei) une o interesse pessoal com uma situação política negando-se a sacrificar o touro mais bonito ao seu deus e substituindo-o por outro de menor valor, revela o apego material que os taurinos estão pré dispostos a ter e a sua passionalidade irrestrita, quando apesar da sabedoria de um rei e o apelo de justiça, permite à mulher dissuadiadi-lo de oferecer o animal menos valioso. Começa a ficar claro, que ja existe um déspota em Creta, mas será na figura do filho monstro que isso ficará evidente. Com o aparecimento de outro filho do mesmo deus Netuno, ou pela justiça dos deuses, aparecerá Teseu que destruirá o filho/besta Minos (representante da ganância) e a causadora do pecado, Pasifae (aquela que tem o apelo físico acima dos morais). O rei Minos e Teseu tem o mesmo deus como pai, Netuno. No primeiro há o interesse próprio em primeiro lugar, e no segundo as suas ações serão motivadas pelos outros (libertar Atenas do tributo humano devido a Minos).
Ao enfentar o Minotauro e o labirinto, Teseu esta enfrentando a força do desejo ganancioso bem como as armadilhas do mesmo. No enfrentamento com o Minotauro e ficar preso no labirinto, ele precisará de armas que não sejam sucetiveis a esses pecados, ou seja, a verdade e a pureza.
Portanto há a necessidade da entrada em cena de outro deus que traga essas caracteristicas, no caso Afrodite. Esta faz com que a filha de Minos, Ariadne, se apaixone por Teseu que promete casar-se com ela. Esta lhe oferece um novelo de lã que serve para marcar o caminho que ele fará dentro do labirinto e assim poder encontrar a saida. 
(continua)