GÊMEOS



Castor e Pólux




Tudo começa com Zeus apaixonado por Leda. Leda estava grávida de Tíndaro e havia se transformado em gansa para escapar do assédio do deus do Olimpo. Zeus se transforma em cisne e seduz Leda na forma de gansa. Leda (ou a gansa) põe 2 ovos. Nasce Castor e Clitemnestra, crianças mortais de um ovo e do outro nasce Pólux e Helena, ambos imortais. Esta Helena será o motivo da guerra de Tróia. Denominados comumente de Dióscuros, isto é, Filhos de Júpiter (kouroi, homens jovens, dios, de Zeus), foram transportados por Mercúrio a Paleno onde foram alimentados, educados e tornaram-se unidos. Dedicaram-se primeiramente a livrar o Arquipélago dos piratas, aproximando-os da identificação com deuses marinhos e invocados nas tempestades. Com Jasão, foram à Cólquida conquistar o tosão de ouro. Recuperaram sua irmã Helena raptada por Teseu. Entretanto o amor os fez cair no mesmo erro que eles tinham querido castigar na pessoa de Teseu. Eles se apaixonam por Febe e Ilaíra,mulheres belíssimas, noivas de Linceu e Idas. Os dois irmãos se reuniram para raptá-las. Os pretendentes os perseguiram e atingiram os raptores perto do Monte Taigeta. Castor foi morto por Linceu, o qual a seu turno caiu sob os golpes de Pólux, ferido por Idas. Pólux, aflito com a morte do seu irmão, pediu a Júpiter que o tornasse imortal. Pólux sensibilizado pela perda propõe a troca da própria vida em favor do irmão. Mas como aquele havia morrido já pertencia ao reino de Hades, do qual a sentença era irrecorrível e ele por ser imortal não poderia morrer. Mas um arranjo foi feito permitindo que cada um passasse 1 dia no reino de Hades alternativamente. Esta ficção é fundada no fato de terem os dois príncipes, depois da morte, formado no céu o signo de Gêmeos; uma das duas principais estrelas que o compõem oculta-se no horizonte quando a outra aparece.